Democracia brasileira é debatida com alunos do Ensino Médio e Pré-Vestibular

Anglo Leonardo da Vinci realiza encontro com autoridades no assunto

 

No último sábado, 11 de agosto, o Anglo Leonardo da Vinci promoveu o debate “Assembleia Nacional Constituinte – um acerto de contas com a Ditadura Militar. Alunos do Ensino Médio e Pré-Vestibular tiveram a oportunidade de refletir sobre a construção da democracia brasileira.

Segundo o mediador do debate, o professor Vagnão, de Sociologia, a instalação da Assembleia Nacional Constituinte foi um momento único da história política do Brasil, e diversos atores sociais participaram de forma ativa do novo cenário político institucional do país. A partir dela, surgiu a Constituição de 1988, a Carta Cidadã, um texto permeado por princípios fundamentais de uma democracia moderna.

“Diante de um contexto tão rico, o Anglo Leonardo da Vinci, que sempre promoveu debates democráticos em sua história, não poderia deixar de colaborar para a compreensão de nossos jovens sobre a importância da representação histórica da democracia”, explicou o professor.

O encontro contou ainda com a presença do deputado federal, Roberto Freire, e do cientista político, Roberto Espinosa. Ambos participaram da luta contra a Ditadura Militar e acompanharam a produção da Carta Cidadã de 1988.

Freire exerce a atividade política há 56 anos e incentivou a participação de todos para a conquista de mudanças no Brasil, como aconteceu há 30 anos. “É uma honra falar sobre esse tema. Foi o momento mais importante da minha vida. Acredito que a força está na sociedade. Por isso, precisamos ser presentes na luta democrática, garantir que a liberdade de expressão seja plena. A constituição garantiu isso”, ressaltou.

Espinosa, que também é professor adjunto de pensamento político e relações internacionais na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), contou sobre os anos em que passou preso e foi torturado durante a Ditadura. Abordou a liberdade de imprensa, direitos sociais e problemas que também acompanharam o período. “O que mudar no futuro? Precisamos alcançar a justiça que, para mim, significa solidariedade, igualdade e direito do povo”.

A orientadora Patrícia Lacerda, uma das organizadoras do evento, disse que a conversa foi produtivo e fundamental. “Uma oportunidade de os alunos aprimorarem o repertório sobre esse momento histórico tão significativo. Assim, poderão contribuir para discussões mais democráticas”, finalizou.

O evento foi transmitido pela TV Osasco. Confira aqui.