Juréia Invisível: estudantes ampliam o olhar sobre as pessoas

Oficina trabalha as questões sociais que estão presentes na região

 

Além de oferecer praias lindas, rios, cachoeiras e uma fauna e flora preservada e vasta, a Estação Ecológica de Juréia-Itatins, conservação localizada no litoral sul paulista, possui outra fonte de aprendizado: as pessoas.

Alunos da 1ª série do Ensino Médio de todas as unidades do Anglo Leonardo da Vinci passaram quatro dias explorando a região. Entre outros destaques da viagem está a “Juréia Invisível”, uma oficina cuja proposta foi dar visibilidade à população local.

“Preservação dos recursos naturais é essencial, mas também é importante prensarmos sobre os cuidados que as pessoas que moram ali necessitam. É conversando que a gente descobre as fragilidades e virtudes delas, e conhece uma realidade diferente da nossa”, explica o professor Bruno.  

Imagine morar em um lugar repleto de belas paisagens e tão seguro e tranquilo, mas, ao mesmo tempo, conviver com problemas de acesso a serviços básicos, por exemplo. Segundo ele, foi uma oportunidade de ampliar horizontes sobre uma Juréia que passa desapercebia por muitos.

Os estudantes andaram pelas ruas, pelas praias com olhos e ouvidos atentos para conhecer histórias. Foi um belo convite ao diálogo com os pescadores, comerciantes, turistas, crianças, jovens e adultos.

Essa experiência foi valiosa e trabalhou a questão social. “Gostei muito porque saímos muito da nossa realidade. Vimos de perto como é o dia a dia deles e mexeu com a gente”, conta a aluna Ana (Alphaville).

Apesar de enfrentarem dificuldades, os moradores deixaram as melhores impressões para todos. “São simpáticos e receptivos. Pude conversar com muitos deles na rua durante o Juréia invisível”, acrescenta a aluna Ellen (Alphaville).